Páginas

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

RESENHA DO LIVRO: QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO? POLLYANNA PRISCILA DE OLIVEIRA SCHUSTER





CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS
















RESENHA DO LIVRO: QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO?


POLLYANNA PRISCILA DE OLIVEIRA SCHUSTER




























Sorriso
2012/2
POLLYANNA PRISCILA DE OLIVEIRA SCHUSTER









RESENHA DO LIVRO: QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO?





Resenha Crítica apresentada ao curso de Ciências Contábeis da Universidade de Cuiabá, como requisito parcial para obtenção do grau de Bacharel em Ciências Contábeis, sob orientação do Prof. Esp. Jazon Pereira








Sorriso
2012/2
SUMÁRIO

















INTRODUÇÃO

Data de publicação: 8 setembro de 1998 Publication Date: September 8, 1998
Com Quem Mexeu no Meu Queijo? With Who Moved My Cheese? Dr. Spencer Johnson percebe a necessidade de encontrar a linguagem e as ferramentas para lidar com a mudança - uma questão que faz com que todos nós nervosa e desconfortável. Dr. Spencer Johnson realizes the need for finding the language and tools to deal with change--an issue that makes all of us nervous and uncomfortable.
A maioria das pessoas têm medo de mudança, porque eles não acreditam que eles têm algum controle sobre como ou quando isso acontece com eles. Most people are fearful of change because they don't believe they have any control over how or when it happens to them. Desde a mudança acontece tanto para o indivíduo ou pelo indivíduo, Spencer Johnson mostra-nos que o que mais importa é a atitude que temos sobre a mudança. Since change happens either to the individual or by the individual, Spencer Johnson shows us that what matters most is the attitude we have about change.
Este anuncio pode ser encontrado no link abaixo:
http://www.amazon.com/Who-Moved-My-Cheese-Amazing/dp/0399144463
Publication Date: September 8, 1998 Data de publicação: 8 setembro de 1998
With Who Moved My Cheese? Com Quem Mexeu no Meu Queijo? Dr. Spencer Johnson realizes the need for finding the language and tools to deal with change--an issue that makes all of us nervous and uncomfortable. Dr. Spencer Johnson percebe a necessidade de encontrar a linguagem e as ferramentas para lidar com a mudança - uma questão que faz com que todos nós nervosa e desconfortável.
Most people are fearful of change because they don't believe they have any control over how or when it happens to them. A maioria das pessoas têm medo da mudança, porque elas não acreditam que  têm algum controle sobre como ou quando isso acontece. Since change happens either to the individual or by the individual, Spencer Johnson shows us that what matters most is the attitude we have about change. Desde que a mudança aconteça tanto para o indivíduo ou pelo indivíduo, Spencer Johnson mostra-nos que o que mais importa é a atitude que temos sobre ela.
Este anuncio mostra resumidamente o conteúdo do livro que em quatorze anos continua com sua linguagem moderna e atual.


APRESENTAÇÃO




Os ratos Sniff e Scurry e os homenzinhos Hem e Haw encontraram um grande estoque de queijo, o chamado posto C que ficava localizado em um labirinto onde todos saiam todas as manhas em busca de queijo.
Sniff e Scurry todas as manhãs iam ao posto C verificavam a quantidade de queijo e em seguida comiam.
Hem e Haw por sua vez também se alimentavam, mas, nada faziam a respeito de verificar algo de diferente que poderia estar acontecendo, simplesmente comiam até estarem satisfeitos.

NÃO HÁ QUEIJO?


Certo dia os personagens chegaram até o local onde sempre havia muito queijo e se depararam com o lugar totalmente vazio, cada um teve uma reação diferente.
Scurry logo tomou a frente em direção ao labirinto logo atrás dele estava Sniff os dois não ficaram nenhum pouco surpresos com a falta de queijo, pois como faziam todos os dias a verificação para saber como estava o estoque de queijo já tinham percebido que o mesmo estava diminuindo dia após dia, então seguindo seu instinto e sem medo da mudança seguiram em busca de queijo.
Hem e Haw chegaram ao labirinto depois de Sniff e Scurry e como eles encontraram os posto C vazio, mas, a sua reação foi outra Hem não aceitava, gritava se perguntava quem havia mexido em seu queijo, toda uma vida de planos que ele havia feito tinha ido pelo ralo estava desamparado e em sua cabeça nunca mais conseguiria encontrar tanto queijo quanto aquele então resolveu que iria esperar até que um novo queijo fosse colocado ali. Hem e Haw esperaram todos os dias, corriam até o posto C na esperança de encontrar o Queijo, mas sempre encontravam um vazio.
Hem começou a se questionar porque tinham feito isso com eles, para ele o queijo havia sido tirado dali e ele disse a Haw que iria ficar ate trazerem o queijo de volta, pois, pensava que tinha direito sobre todo o queijo, então Haw o questionou com relação à Sniff e Scurry, que eles deveriam ir atrás de queijo como eles, Hem logo respondeu que eles não teriam a capacidade de encontrar queijo, pois não tinham a inteligência de dois homenzinhos e só viviam por causa de seu instinto animal, mais uma vez Haw tentou sugerir ao amigo que fossem em busca de um novo queijo, mas Hem ficou irredutível.

OS RATOS: SNIFF E SCURRY


Saíram do Posto C a procura de queijo no labirinto, verificavam todos os lugares por onde passavam até que finalmente encontraram a maior quantidade de queijo que já haviam visto.

OS HOMENZINHOS: HEM E HAW


Estavam no posto C como todos os dias esperando o queijo que nunca chegava, pensavam em seus amigos Sniff e Scurry, ficavam preocupados com a hipótese e eles estarem passando por dificuldades, Haw chamou Hem para entrar no labirinto em resposta disse que já estava cansado e muito velho e não queria fazer papel de bobo se caso não conseguisse encontrar o queijo. Acomodado continuavam a esperar o queijo que não chegava Haw já sonhava com queijo, mas, toda vez que se encorajava a procurar Hem o trazia e volta à estagnação e ao conformismo, mas em uma manhã Haw começou a analisar o que estava acontecendo e riu de si mesmo e até de Hem de como estava ali como bobo esperando por um queijo que para ela já era quase impossível de se reposto, procurou seus tênis de correr, pois havia resolvido procurar o queijo no labirinto novamente dessa vez Hem não conseguira mudar o pensamento do amigo.

NESSE MEIO TEMPO, DE VOLTA AO LABIRINTO


Haw se questionou varias vezes sobre a possibilidade de não haver queijo no labirinto em seu medo do desconhecido, pensou em como Hem estagnou-se em uma situação que só cabia a ele resolver e ao contrario do deveria fazer só fazia a mesma pergunta sem resposta: “Quem Mexeu no meu queijo?” (Johnson, 2012, p.49), se deu conta de que sua reflexão era bem diferente da fita por Hem, ele se perguntava: “Porque eu não me mexi e fui procurar o queijo mais cedo?” (Johnson, 2012, p.49).
Resolveu então entrar no labirinto, mas, com uma enorme vontade de voltar a sua zona de conforto, descobriu que estava com medo, de não ter forças para encontrá-lo, pois havia muito tempo que não se alimentara do desconhecido, mas o medo em sua opinião parecia bom, pois o ensinou a ficar atento as mudanças ao seu redor e a ficar disposto a se adaptar a elas com mais facilidade, então disse para si mesmo: “Antes tarde do que nunca.” (Johnson, 2012, p.51).
Caminhou vários dias no labirinto encontrado queijo apenas para forrar o estomago pensou em desistir, se perdeu no labirinto, ate pensou estar andando em círculos, mas resolveu continuar se voltasse perderia o que já havia aprendido e esperaria a sorte lhe trazer o tão sonhado queijo.
Seguiu em frente lembrando-se de seus amigos Sniff e Scurry que ficaram atentos as mudanças e não se afetaram e não ficaram esperando algo, tomaram atitudes e foram em busca de queijo. Decidiu que seria maleável às mudanças para não ser pego de surpresa mais uma vez.
Continuou procurando queijo sem encontrar, descobriu a fonte de seus medos, tinha medo de seguir em frente sozinho, pensou em Hem o que acontecera com ele, será que já tinha entrado no labirinto¿, então se lembrou também que quando estava seguindo em frete no labirinto se sentia muito bem.
Como já vinha a algum tempo fazendo constatações e anotações nas paredes do labirinto, resolveu escrever mais uma no caso de esquecer e também para que Hem assim que resolvesse entrar no labirinto a seguisse, o que dizia o lembrete: “O movimento em uma Nova Direção Ajuda-o a Encontrar um Novo Queijo.” (Johnson, 2012, p.57).

VENCENDO O MEDO


Haw descobriu que era o seu medo que não permitia a ele seguir em frente resolveu não ter mais medo, nem da escuridão o labirinto nem do desconhecido, ele se viu livre disso e motivado mesmo não tendo nenhum pedaço de queijo sequer, se imaginou com muito queijo, pensou em coisas positivas, em como uma mudança pode ser para melhor e não ao contrario.
Correu com muita força e rapidez e de repente encontrou um posto de queijo onde em sua entrada haviam pedaços queijo jamais imaginados por ele então se alimentou e guardou uns pedaços para depois, mas assim que entrou viu que estava vazio, apenas migalhas como as que estavam na entrada, percebeu que se tivesse saído antes poderia ter realmente aproveitado todo o queijo daquele posto, resolveu voltar para ver se Hem gostaria de seguir com ele.

SENTINDO O GOSTO DE AVENTURA


Haw teve dificuldade para chegar ao posto C, conseguiu encontrar Hem deu lhe queijo, mas Hem disse que queria esperar, pois não iria conseguir se acostumar à nova vida e ao gosto do queijo que eles poderiam encontrar.
Haw entrou no labirinto sozinho, com muita tristeza em seu coração, pois seu amigo não quis acompanhá-lo, mas, descobriu que não era o queijo que o fazia feliz e sim não ter medo e já tinha certeza que logo encontraria um posto de queijo maior que o posto C, descobriu também que ficar acreditando em apenas uma coisa e não estar pronto para mudanças pequenas ou até mesmo radicais são o tornaria despreparado e o entristeceria.

SAINDO DO LUGAR ASSIM COMO O QUEIJO


Haw não havia encontrado queijo, mas com isso aprendeu alguma coisa: “Quando você acredita que pode encontrar e apreciar um novo queijo muda de direção.” (Johnson, 2012, p.71)

O MANUSCRITO NA PAREDE


Pensou novamente que se tivesse percebido antes a mudança, não estaria tão fraco e desmotivado, já poderia estar em um posto novo de queijo, então foi a lugares onde jamais poderia imaginar entrar a procura do seu tão sonhado queijo, esperava muito estar indo na direção correta e como de costume escreveu novamente algo muito importante em uma das paredes do labirinto, na esperança de Hem o seguir a frase escrita foi: “Notar cedo as pequenas mudanças ajuda-o a adaptar-se ás maiores que ocorrerão.” (Johnson, 2012, p.73)
SABOREANDO O NOVO QUEIJO

Haw já não pensava em seu passado em seus medos e em suas decepções logo em sua corrida que naquele momento era a mais rápida que já havia feito encontrou o inimaginável um novo posto, o Posto N onde haviam todos os tipos de queijo que Haw conhecia e também os desconhecidos a ele, pensou que poderia ser uma miragem, mas logo viu Sniff e Scurry já com suas barriguinhas salientes de tanto queijo que haviam comido, os cumprimentou e eles acenaram de volta.
Haw então começou a saborear aquela recompensa maravilhosa que passara tantos dias a procurar.

GOSTANDO DA MUDANÇA!


Depois de estar com sua fome saciada Haw fez um brinde a sua nova descoberta:
“--Viva a mudança!” (Johnson, 2012, p.75), refletiu sobre tudo o que aprendera que tinha medo de mudar, e também que o medo de morrer de fome o ajudou a mudar e então percebeu que o inicio de sua mudança se deu quando ele riu de si mesmo, jamais se esqueceria que dois ratinhos que agem por instinto sabiam melhor do que um homenzinho que pensa e raciocina que devem se adaptar a mudança e a não esperar as coisas caírem do céu decidiu ficar atento a mudanças, esperá-las e se adaptar as mesmas.
Percebeu que o maior inimigo de um ser é ele mesmo, e que sempre haverá um novo queijo e que seus medos nem sempre são ruins, pois ajudam a refletir sobre algo, mas que se o medo se tornar algo muito grande ele será de alguma maneira o empecilho para as novas conquistas.
Lembrou mais uma vez do amigo Hem, se perguntou se ela já estava no labirinto, pensou em voltar ao posto C para buscá-lo, mas, então se lembrou que já havia feito isso e que não surtiu efeito e que se Hem fosse mudar teria que ser por si mesmo, pois ele já havia feito tudo o que podia por seu amigo, que com as pistas e as escritas na parede poderia não só encontrar o queijo, mas também tomar uma lição importante para si assim como Haw havia feito.
Contudo, Haw estava feliz e então escreveu um grande quadro em uma das paredes do labirinto com todas as suas descobertas e reflexões:
“O manuscrito na parede
A mudança ocorre
Continuam a mexer no queijo
Antecipe a mudança
Prepare-se para o caso do queijo não estar no lugar
Monitore a mudança
Cheire o queijo com freqüência para saber quando está ficando velho
Adapte-se rapidamente à mudança
Quanto mais rápido você se esquece do velho queijo,
mais rápido pode saborear um novo
Mudança
Saia do lugar assim como o queijo!
Aprecie a mudança
Sinta o gosto da aventura e do novo queijo
Esteja preparado para mudar rapidamente muitas vezes
Continuam mexendo no queijo”. (Johnson, 2012, p.79)

Haw tinha um grande estoque de queijo, mas mesmo assim todos os dias saía para buscar um novo estava agora pronto para qualquer mudança, ainda pensava em seu amigo e orava para que ele “saísse do lugar assim como o queijo.” (Johnson, 2012, p.81)












 


CONCLUSÃO

Quem mexeu no meu queijo?, mostra como cada ser humano em sua essência lida com seus problemas seja ele qual for todos os humanos são programados para gostar do conforto e se acostumar com ele, mas nem todos estão preparados para suportar e passar por cima dos problemas sem desanimar e desistir no meio do caminho, o livro mostrou que os dois ratinhos com seu sentido aguçado e sua falta de raciocínio tomaram a iniciativa antes dos humanos que são dotados do poder de pensar, assim que notaram a mudança não pensaram duas vezes antes de procurar o seu queijo que no livro é uma palavra usada para descrever qualquer coisa que lhe é tirada sem um prévio aviso.
Em cada residência, comercio, indústria, existem os Sniff, Scurry, Hem e Haw que são facilmente identificados com uma analise simples que aprendemos com o ato de ler o livro.
O aprendizado que pode ser tirado dessa pequena fabula pode ser levado para a vida toda, ser usado em todas as situações bastando a pessoa saber qual dos personagens ela quer ser.
Se decidir ser Scurry se antecipara ao problema e quando ele acontecer não ficara surpreso, seguira imediatamente de volta ao labirinto para procurar um novo queijo não esperara nem sentir fome ou fraqueza para fazê-lo.
Se for Sniff seguira o amigo também sem questionar, o que levou ao problema, para logo encontrar o queijo, estes dois personagens tomaram suas atitudes rapidamente e mais rápido ainda encontraram seu novo queijo.
Se for o personagem Haw devera vencer seu próprio medo do desconhecido e seguir em frente, aprender a rir de sim mesmo e dos erros que cometeu, para assim conseguir encontrar o novo queijo, não esquecendo, de ser companheiro e tentar ajudar aos amigos não fazendo seu trabalho, mas sim mostrando o caminho a seguir assim só dependera dele o que fará ou não a respeito. Começara a analisar o que acontece em volta de si, a enxergar as pequenas mudanças para não ser pego de surpresa.
Já o personagem Hem não deveria ser escolhido, pois é fraco e mostra o pior de cada ser.
As mudanças irão acontecer e todos devem estar preparados para elas.
Como disse anteriormente, o livro traz uma pequena estória que leva o individuo a se preparar melhor para o que poderá vir a acontecer, em sua vida pessoal, profissional e afetiva, esta metáfora poderá ser usada por crianças, jovens e adultos durante toda a vida, lido e relido no momento que pensar ser oportuno.
























REFERÊNCIAS


JOHNSON, Spencer. Quem mexeu no meu queijo? 77 ed. Rio de Janeiro: Record, 2012

4 comentários:

  1. A parábola fala dos quatro personagens que estão a procura do queijo, que para nós poderia ser um objetivo a ser alcançado, seja ela na parte amorosa, espiritual, no seu trabalho. Já o labirinto é o local onde as pessoas procuram por isso na empresa onde trabalha , a família, etc.
    No labirinto cheio de corredores, existem alguns lugares que tem queijos deliciosos, mas também lugares obscuros e sem saída, um dos ratos conseguia perceber rápido as mudanças, já o outro era mais pró-activos .Um dos duendes era mais resistentes as mudanças, acreditando que algo de pior poderia acontecer, já o outro duende acredita que as mudanças poderia levar a algo melhor e se adaptar a nova realidade mais facilmente.
    As vezes devemos ser como o Sniff, outras como o Scurry, outras como o Hem, outras como o Haw.
    Ele fala das mudanças em nossas vidas e de como elas podem ser boas , ou ate mesmo ruins.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, gostei do seu posicionamento junto a resenha, valeu mesmo!

      Excluir
  2. O livro revela que devemos tomar algum posicionamento diante dos acontecimentos de nossa vida . É necessário que as pessoas tenham sempre um objetivo de vida , por menor que pareça ser , precisamos disso para termos força e motivação pra seguir em frente . Almejando melhores condições , tanto emocionais quanto financeiras e em termos de saúde também.
    Caso seja frustrado , estabeleça um novo objetivo e continue seguindo em frente .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente isso meu caro esse livro nos revela um mundo que vivemos, mas que por alguns motivos não percebemos como tal. Valeu!

      Excluir